15.4 C
Belo Horizonte
Friday, 16 / April / 2021
- Publicidade -

Biden consolida vitória no Arizona

Mais Notícias

Viih Tube debocha de Juliete ao dar nome inusitado para partes íntimas

Juliette Freire no BBB21; advogada chama partes íntimas femininas com nome masculino.

Samarco pede recuperação judicial

A decisão também foi divulgada pela Vale em um comunicado ao mercado

Sorteio da mega-sena pode pagar R$ 27 milhões neste sábado

Aposta mínima custa R$ 4,50 e pode ser realizada pela internet

Choque com tropas deixa 11 manifestantes mortos em Myanmar

Em Taze, manifestantes enfrentaram militares com armas caseiras

O presidente eleito dos Estados Unidos (EUA), Joe Biden, consolidou sua vitória eleitoral conquistando o estado crucial do Arizona na noite de quinta-feira (12), mas a transição de seu governo continua em um limbo político porque o presidente, Donald Trump, se recusa a aceitar a derrota.

Projeções mostraram Biden vencendo no Arizona, depois de mais de uma semana de contagem de votos, disse a consultoria Edison Research. Ele se tornou somente o segundo candidato presidencial democrata em sete décadas a vencer no estado tradicionalmente republicano.

O triunfo de Biden no Arizona dá ao democrata 290 votos no Colégio Eleitoral, que determina o vencedor – mais do que os 270 necessários. Biden também está vencendo a votação popular por mais de 5,3 milhões de votos, ou 3,4 pontos percentuais.

Faltando poucos estados que ainda contam votos, a matemática eleitoral é desalentadora para Trump, que alega sem provas que a eleição foi maculada por fraude generalizada.

Para anular a vantagem de Biden, o republicano Trump teria que superar sua dianteira em ao menos três dos estados-chave.

A equipe de Trump iniciou ações civis que contestam a contagem de votos em vários estados, mas algumas já foram descartadas pelos juízes. Especialistas legais disseram que o litígio tem pouca chance de alterar o desfecho, e autoridades eleitorais estaduais disseram não ter visto indícios de irregularidades graves ou fraudes.

A recusa de Donald Trump de aceitar o resultado da eleição de 3 de novembro travou o processo de transição para um novo governo. A agência federal que normalmente liberaria fundos para um presidente eleito, a Administração de Serviços Gerais, ainda não reconheceu Joe Biden como o vencedor.

Seu escolhido como chefe de gabinete, Ron Klain, disse ao canal MSNBC, nessa quinta-feira (12), que receber os fundos de transição é importante, já que o governo dos EUA lançará uma campanha de vacinação contra o novo coronavírus no início do ano que vem.

“Quanto mais cedo conseguirmos colocar nossos especialistas em reuniões com o pessoal que está planejando a campanha de vacinação, mais suave pode ser a transição de uma presidência Trump para uma presidência Biden”, explicou Klain.

O presidente eleito deve se encontrar novamente com os conselheiros de transição nesta sexta-feira, enquanto elabora sua abordagem para a pandemia e se prepara para revelar os principais indicados, incluindo membros do gabinete.

A maioria dos republicanos apoiou publicamente o direito de Trump de recorrer aos tribunais e se recusou a reconhecer Biden como vencedor. Figuras do partido, no entanto disseram que o democrata deveria ser tratado como presidente eleito e vários senadores afirmaram que Biden deveria receber informes de inteligência.

- Publicidade -

Mais Notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -

Últimas Notícias

Viih Tube debocha de Juliete ao dar nome inusitado para partes íntimas

Juliette Freire no BBB21; advogada chama partes íntimas femininas com nome masculino.

Samarco pede recuperação judicial

A decisão também foi divulgada pela Vale em um comunicado ao mercado

Sorteio da mega-sena pode pagar R$ 27 milhões neste sábado

Aposta mínima custa R$ 4,50 e pode ser realizada pela internet

Choque com tropas deixa 11 manifestantes mortos em Myanmar

Em Taze, manifestantes enfrentaram militares com armas caseiras

Funeral do príncipe Philip deve ocorrer no dia 17

Cerimônia estava planejada; rainha Elizabeth passa por 8 dias de luto