20.9 C
Belo Horizonte
Wednesday, 22 / September / 2021
- Publicidade -

Brasil tem 19 milhões de famintos e 20 novos bilionários durante a pandemia

Mais Notícias

Preço da cesta básica sobe em 15 capitais do país

Maiores altas foram em Fortaleza (3,92%) e Campo Grande (3,89%)

Poupança tem captação líquida de R$ 6,37 bilhões em julho

Depósitos superam retiradas pelo quarto mês seguido

Atividade industrial cai em maio, mas está acima de antes da pandemia

Apesar de queda na produção, emprego subiu pelo 10º mês seguido

Petrobras aumenta preço da gasolina, diesel e gás nas refinarias nesta terça

Petrobras afirma que preço segue patamar internacional de preços
- Publicidade -

O número de bilionários no Brasil saltou de 45 para 65 pessoas em 2021, crescimento de 44%, de acordo com lista da revista Forbes divulgada ontem (6). Juntos, desde o ano passado, durante a pandemia do novo coronavírus, eles praticamente dobraram o montante acumulado, que atualmente atinge a marca de R$ 1,2 trilhão. Ao mesmo tempo, estudo desenvolvido pela Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar (Rede Penssan) divulgado nesta semana mostra que 19,1 milhões de brasileiros estão passando fome.

Para o diretor técnico do Dieese, Fausto Augusto Junior, são dados “revoltantes”, que escancaram a desigualdade social no país. E apontam para a necessidade de pressionar o Congresso Nacional para implementar a taxação de grandes fortunas. O aumento na arrecadação serviria para financiar políticas sociais e programas de transferência de renda.

“É um exemplo triste. Quando se deixa simplesmente ao sabor do mercado, o que assistimos no Brasil, nos últimos anos, é o crescimento dos super-ricos. Ao mesmo tempo, um aumento muito grande dos muito pobres”, disse Fausto, em entrevista a Glauco Faria, no Jornal Brasil Atual desta quarta-feira (7).

Ele ressaltou ainda o contraste entre o avanço da fortuna dos super-ricos com o auxílio emergencial, que voltou a ser pago nesta terça, com valores entre R$ 150 e R$ 375. “Como é que pode partes importantes da sociedade ampliarem suas riquezas e, em contraponto, dizerem que o Estado não tem recursos para garantir minimamente uma cesta básica para cada brasileiro?”, questionou.

Além disso, Fausto destacou que a maioria dos novos bilionários é oriunda do sistema financeiro ou de grandes conglomerados. Os primeiros praticamente não criam empregos. E os segundos “massacram” as pequenas e médias empresas, por meio da concorrência desleal.

Obstáculo ao desenvolvimento

Por outro lado, já ficou demonstrado, em tempos recentes, que, quando há a aumento na distribuição de renda, o país cresce mais economicamente, ampliando concomitantemente o desenvolvimento social do país. Enquanto, nos Estados Unidos, o presidente Joe Biden anunciou aumento de impostos para bilionários e grandes empresas, por aqui, os super-ricos são isentos de impostos na distribuição de lucros e dividendos.

“É fundamental inverter a pauta. Porque é importante colocar os super-ricos para pagarem mais impostos”, disse Fausto. “É um absurdo, do ponto de vista tributário, num país que precisa enfrentar a desigualdade”, ressaltou.

Em vez disso, a discussão em pauta no Congresso é a chamada “reforma administrativa”, com propostas que pretendem retirar ainda mais recursos destinados aos mais pobres por meio da redução dos serviços públicos e dos direitos sociais. O diretor do Dieese disse, contudo, que não tem expectativas de que o governo Bolsonaro vá pautar medidas de combate à desigualdade. “Mas esse debate precisa chegar à casa do povo. É importante que o Legislativo se pronuncie sobre isso”, afirmou.

Redação: Tiago Pereira

- Publicidade -

Mais Notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -

Últimas Notícias

Brasil brilhou no skate na noite do décimo quarto dia de Olimpíada

Amanhã, país tem estreias nos saltos ornamentais e ginástica rítmica

Secretário Bruno Bianco é indicado para a AGU

Anúncio foi feito pelo presidente em redes sociais

Preço da cesta básica sobe em 15 capitais do país

Maiores altas foram em Fortaleza (3,92%) e Campo Grande (3,89%)

Poupança tem captação líquida de R$ 6,37 bilhões em julho

Depósitos superam retiradas pelo quarto mês seguido
- Publicidade -

Mundo Go!

Segmento de beleza é uma ótima opção para investir

Mesmo durante a pandemia e uma crise econômica, o segmento de beleza e bem estar continua a expandir, com uma receita de R$35.276 bilhões em 2020

7 cuidados para investir em microfranquias

As microfranquias, franquias com investimento inicial inferior a R$ 90 mil cresceram em 2020 e deve continuar crescendo

4 super dicas de como cuidar de samambaia

Se você está procurando como cuidar de samambaia, ficará feliz em saber que essa não é uma tarefa tão difícil. Afinal, a samambaia é uma espécie resistente. Considerada uma das plantas mais antigas do mundo, ela espalha seu charme há 400 milhões de anos!
- Publicidade -
- Publicidade -